Entre Sonhos e Sorrisos...

Entre Sonhos e Sorrisos...
"Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim..."

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Pensamentos da Lua...

A lua passa noite após noite rodeada de estrelas, mas o dono do seu coração é aquele que a faz brilhar... que a enche de luz...


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Cúmplices



Cúmplices
A cada encontro desencontrado…
…e a saudade faz-se sentir.
Cúmplices
Num só olhar e o “calor” aumenta.
Cúmplices
Numa brincadeira não programada
…e o mundo vira uma gargalhada.
Cúmplices
Num suspirar e a paixão alastra.
Cúmplices
Num desejo espicaçado e o fogo cresce.
Cúmplices
A cada dia que “nascemos” juntos
…e os lençóis demoram a arrefecer.
Cúmplices
Seja no ir ou no ficar… mas cúmplices...
Cúmplices até no rezingar…
Cúmplices sem complicar…

texto por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Monumental

Monumental
O tocar dessas tuas mãos em mim
A percorrerem-me
A sentirem-me
A descobrirem-me
E a dominarem-me…

Monumental
Esse momento onde numa só entrega
Nos dividimos
Nos multiplicamos
Nos subtraímos
Nos adicionamos
E devoramos…

Monumental
A noite escura onde nos perdemos
Onde nos envolvemos
Onde nos calamos
Onde nos fundimos
E viajamos…

Monumental… Monumental… Monumental…


texto por Isabel Reis
foto por António B. (http://www.antoniobphotografia.blogspot.com/)
todos os direitos reservados

Liberdade Florida...

Este mês comemora-se uma revolução que para muitos de nós como eu é uma recordação dos nossos pais que trazemos no coração guardada com o fervor com que nos contam a sua história, de como viveram a dita revolução sem sangue, onde estavam, o que faziam, o que sentiram… mas para outros, principalmente aqueles depois da minha geração, já não passa mesmo de uma história a juntar às muitas que o nosso país tem apesar de tão pequenino e da qual se fala na escola sempre que a data se aproxima.

A revolução dos cravos entre muitas coisas, veio por fim a uma era de censura onde a falta de liberdade reinava e tudo, mesmo tudo era controlado pelo governo, mas agora que nos aproximamos do seu aniversário eu pergunto-me, mas que tipo de liberdade temos nós agora, quando até para irmos de férias o melhor é irmos acompanhados senão é certo e sabido que a viagem sai mais cara, pois é, ser solteiro não compensa, tem que se pagar um extra por isso, como se já não bastassem os olhares de crítica por parte de todos aqueles que jogam no clube dos casados.

Mas eu pergunto-me e em questões mais sérias… Que tipo de liberdade temos nós agora, que sim, ao fim de muitos anos de luta já nos permite casar com alguém do mesmo sexo, mas no que diz respeito a ter filhos ainda não e no entanto a coisa que mais se vê são os casais ditos “normais” a terem filhos e a maltratarem-nos severamente muitas vezes só porque são crianças. Que tipo de liberdade temos nós agora, em que os políticos roubam, fogem à justiça, voltam, é-lhes permitido voltar a candidatar-se às eleições e até são reeleitos. Que tipo de liberdade é essa em que um governo corta nas comparticipações dos medicamentos e os reformados que trabalharam uma vida inteira e agora já mal se aguentam com a reforma que recebem tem que escolher entre viver ou sobreviver, aumenta os impostos em bens essenciais, mas no entanto os reduz em coisas tão básicas e necessárias como campos de golfe, anuncia que a crise está instalada e que se torna necessário a todos ajudar, mas conduzem carros de luxo suportados pelo dinheiro que tão avidamente nos vão buscar aos bolsos sem pedir.

Pois é, ser livre pelos vistos tem muitos inconvenientes na era em que nos encontramos… Quem sabe outra revolução não viesse a calhar… a dos cravos, a dos lírios, a das rosas… qualquer uma… mas uma que deitasse abaixo um governo que tão descaradamente nos vem deitando abaixo a nós.


por Isabel Reis
Crónica no Art'Anima Seixal
Boletim Mensal nº 3
Abril/ 2011
todos os direitos reservados