Entre Sonhos e Sorrisos...

Entre Sonhos e Sorrisos...
"Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim..."

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

hoje...


hoje



hoje a minha vida seguiu em frente

hoje enterro finalmente o mundo que deixei para trás

hoje sorrio para a vida

porque finalmente ela sorri para mim…



continuo sem esquecer o pesadelo que vivi

o passado recente que apenas ontem deixei para trás

mas finalmente levanto a cabeça pois sei que acabou

sei que enterro tudo

as lágrimas e a dor

a tristeza da minha vida contigo

se é que alguma vez poderei chamar vida

ao terror que se tornou o meu dia-a-dia

ao medo que se apoderou de mim

que me enterrou sonhos e roubou a dignidade

que me fez viver na sombra

rondar até o limiar da loucura

que me tirou a vontade de viver…



mas hoje estou aqui

hoje isso nada é mais do que um passado sofrido
que fica para trás

hoje sei que estou feliz
recupero a mulher de sempre
sinto-me renascer
após uma morte sofrida…

vejo renovada em mim
a força, a garra, a determinação que perdi
no dia que me deixei subjugar
no dia que troquei a dignidade por amor a ti
hoje sinto-me a mulher de sempre
que julgava morta
afinal estava apenas perdida
hoje olho ao espelho e não sou eu que sorrio
mas sim a minha alma
pelo passado que ficou para trás
pelo presente que se avizinha
pelo tudo e pelo nada…



hoje estou aqui, voltei ao caminho certo
retomei as rédeas da minha vida
feitas as contas que peso tem então o passado
se o que importa é mesmo o HOJE
e o HOJE é finalmente meu…




Por Isabel Reis in "Delirios de uma alma encontrada" - Corpos Editora/ maio 2008

coragem

coragem

coragem

p’ra tudo na vida
é preciso coragem…
coragem p’ra nascer
coragem p’ra andar
coragem p’ra crescer
coragem p’ra amar…

coragem,
palavra tão forte e decidida
palavra por tantos proferida
mas coragem
quem a tem verdadeiramente
apenas quem ama sem medo
apenas quem diz o que sente…

coragem, coragem, coragem
diz o forte ao fraco
diz o vivo ao moribundo
diz o rico ao pobre
disse Deus ao mundo…

coragem
p’ra tudo na vida é preciso
mas quem é mesmo que a quer
quando apenas quer é sofrer…

Por Isabel Reis in "Delirios de uma alma encontrada" - Corpos Editora/ Maio 2008

Mulher

Mulher

Mulher força da natureza... um ser pensado ao pormenor.

Mulher aquela que vive na sombra, mas peça fundamental na acção...
Mulher que vive, pensa e respira não apenas por si…
…mas sempre em função de mais alguém.

Mulher é a sensualidade feita pessoa…
…ou talvez a pessoa que define sensualidade.
Mulher grita, chora, ri, vibra, sente…
…e mesmo assim quando é preciso… ela lá está… presente.
Mulher, menina, amiga, mãe, vulcão... tantos os papeis que desempenha.

Mulher tem muitas mulheres dentro de si…
… ou será que tem apenas uma???
uma com a capacidade de se desdobrar em muitas...

Mulher… ser mulher é dar muito mas também nada
dar o muito que traz em si
e aquele nada que não sabe ser…


Por Isabel Reis in "Confidências no colo da Lua" - Corpos Editora/09

Pensamentos da Lua


Pensamentos da Lua

Chegar… Partir… Ficar…

Tem momentos na vida em que chegamos outros em que partimos, passamos a vida a fazer passagens breves por momentos, lugares… até mesmo pessoas. Então como saber quando chegamos ao destino, ao nosso destino… é simples. É quando não pensamos em partir, é quando não esperamos pela hora de acabar… é quando simplesmente deitamos a cabeça, fechamos os olhos e dormimos sem pensar em nada, sem medos ou pensamentos negativos… É quando fechamos os olhos, respiramos fundo e dormimos… Simplesmente dormimos de sorriso nos lábios e em paz…

Paz… aquela paz profunda que nos deixa dormir relaxadamente mesmo que o mundo esteja a ruir à nossa volta. Aí saberemos que chegamos ao nosso destino e que partir não é uma opção.

Por Isabel Reis in "Confidências no colo da Lua" - Corpos Editora/09

domingo, 16 de agosto de 2009

In/Consciente da sua sorte

In/Consciente da sua sorte

Quero dançar, quero sorrir
Quero cantar ao som do vento
Quero dançar, quero sorrir
Quero cantar ao som da chuva
Quero viver, quero sonhar
Quero amar ao sabor do tempo
Quero viver, quero chorar
Quero sofrer ao sabor do momento
Quero partir, quero chegar
Quero ser alma, quero ser gente
Quero chegar, quero ficar
Quero ser vida, mesmo demente
Quero chorar, quero amar
À luz do firmamento
Como uma louca me apaixonar
Numa loucura de momento…

Quero correr, quero parar
Quero dormir mas acordar
Quero passar fome, quero comer
Quero sofrer para saber amar
Quero cair e magoar-me
Para levantar-me e sorrir
Quero lutar e perder
Para ganhar e perceber
Que é no gosto amargo da derrota
Que valorizamos a glória da vitória.

Quero de dia sonhar, de noite me envolver
Em sonhos me apaixonar
Pela vida me esquecer…
Quero o mundo a meus pés
Mas com os pés percorrer o mundo
Quero a vida num minuto
Que me parece tão pouco
Quero ser um pobre vagabundo
Dama da sociedade
Anjo luminoso da vida
Mensageiro negro da morte
Quero uma passagem sentida
In/Consciente da sua sorte.

Por Isabel Reis em "Confidências no colo da Lua" - Corpos Editora - Junho/2009