Entre Sonhos e Sorrisos...

Entre Sonhos e Sorrisos...
"Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim..."

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Trago no olhar...

Trago no olhar
O eco do grito que sufoco no peito
O silêncio de uma ausência... a minha.
A dor de uma ilusão... que és tu.

Trago no olhar
A lágrima que escondo num sorriso
A tristeza que ignoro, mas nem por isso vai embora...
A dor que escondo... mas não deixa de ser minha
Que carrego no olhar...

Trago no olhar o que me vai na alma
Uma realidade que teimo em não querer ver
Uma dor que recuso ser minha...
E num querer passar sem perceber
Esqueço um presente à minha volta
Não lembro que depressa vira passado
Que o futuro me espreita... já ali... ao virar da esquina
A um passo de virar presente
Só a dois de virar passado... o meu passado.
E sofro... sofro dobrado.

Sofro ao ignorar o sentimento
Que carrego num só olhar
De querer viver o que não é meu
Para esquecer o que realmente tenho
Uma vida... que é minha não tua.
Que eu comando não tu.

Sofro ao perceber que não vivi nem um nem outro
Sofro ao olhar o meu passado
E ver que perdi esse tal sorriso... aquele... o que me fazia feliz... o meu
Sofro porque o troquei pelo teu...

Sofro ao olhar a minha imagem
E por trás do olhar encontrar a tal lágrima
A que não deixei cair...
Sofro ao perceber que a ausência continua
Que na ânsia de lhe fugir... só a fiz crescer...
E então sofro... sofro pelo que trago no olhar.

Trago no olhar restos do que fui
Num nada que em mim restou
Trago no olhar uma certeza
Que ao fugir de quem era
Me esqueci para onde vou.

Trago no olhar o lamento
De descobrir que apenas fui
Mas já não sou.

Por Isabel Reis

quinta-feira, 14 de maio de 2009

O tempo na vida...







Tem alturas na vida em que todos gostariamos de ficar perdidos... outras nem sequer queriamos ser achados, existem até aquelas em que gostariamos de acelerar ou parar o tempo, mudar circunstâncias, voltar atrás... só que a realidade que temos por certa, é que o tempo na vida, é como a vida no tempo... um não existe sem o outro...






por Isabel Reis

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Vem...


Vem…

Vem que meu corpo já sente o arrepio quente que teu corpo arrasta

Vem que meu olhar já acusa a ânsia de te sentir junto a mim

Vem que minha alma já se encolhe ao imaginar-te dentro… bem dentro

Vem que a expectativa já me deixa louca num prazer adivinhado

De um desejo anunciado.


Por isso vem…

Vem antes que enlouqueça de vontade

Vem antes que o sono me vença e fique só na saudade

Vem antes que o meu corpo te esqueça e fique só na ansiedade

Vem antes que a alma me arrependa por te aguardar

Vem antes que a razão ganhe a batalha

Vem antes que o sentimento entristeça por te aguardar

Vem antes que toda eu canse de esperar.



Por isso vem… mas vem já…

Já antes que eu fuja… fuja ao assumir essa dura verdade

Que em qualquer canto me espera

Antes que eu decida ser sincera comigo e com o mundo

E resolva aceitar que não mereces que te espere

Nem eu mereço teu amor egoísta e vagabundo

Que me enche de amor em segundos contados

Que me enche de prazeres loucos… mas roubados

Onde o ladrão és tu… mas a condenada sou eu.



Por Isabel Reis

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Prazo de validade

Amar hoje em dia tornou-se uma tarefa difícil.
Já ninguém ama... pelo menos não como antigamente. Namorar caiu em desuso, já não é moda... Tornou-se apenas um conceito que caiu no esquecimento.

Hoje em dia é giro ter amigos coloridos, namorados para quê??? Agarrar-me a alguém porquê???

Talvez para sentir a falta de alguém que nos ama independentemente do que for, do que seja, do que venha. Talvez para sentir o sangue ferver nas veias apenas ao sentir o olhar, o sorriso da pessoa amada... talvez para perceber o quanto é bom ser amada da mesma forma... com o mesmo calor.

Mas o conceito de amor hoje em dia caiu no abandono de quem acha que o compromisso é demais... a sociedade está tão corrompida que amar simplesmente é fazer demasiado esforço. Comprometer o nosso coração a alguém é um compromisso demasiado grande para valer a pena.

Hoje em dia o “amo-te” serve para qualquer um… é mais a onda do “eu amo-te” pelo menos até aparecer alguém diferente… é um “amo-te” com prazo de validade.