Entre Sonhos e Sorrisos...

Entre Sonhos e Sorrisos...
"Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim..."

quinta-feira, 24 de março de 2011

Desejos Negados

Num fim de tarde ausente
De um dia de sol chuvoso
Vem o frio, sinto-me quente
Com o calor de um dia ventoso…

É o arrepio frio que me percorre
De tantos beijos por mim sonhados
É a seiva que deles escorre
Desses teus lábios a mim negados…

Viajo pelo mundo dos sonhos
Em frente a um mar calado
De um salto chego à lua
Encontro meus desejos negados...

És tu que me enlouqueces
Enquanto a noite vira dia
Tu que te apoderas do meu corpo
E de tudo o que ele vivia…

Ilusão maldita… cruel
Que me torturas com pensamentos
Que me fazes sentir na pele
Meus desejos… meus tormentos…

Não consigo viver assim
Com tamanha ansiedade
Quero arrancar-te de mim
A ti e à minha vontade…

Vontade… tremor… desejo…
Num corpo que sozinho delira
Desejos sufocados… em que só a ti vejo
Nas noites de solidão ausente
Perdida numa cama sem fim
Com uma só coisa em mente
Querer-te dentro de mim
Num momento chamado sempre…



por Isabel Reis
in "Confidências no colo da lua"
corpos editora/2009
todos os direitos reservados

Pensamentos da Lua

Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim.


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

terça-feira, 22 de março de 2011

Pensamentos da Lua

Quando for embora desta vida não levo tudo o que tenho, porque o que tenho não me faz falta, mas levo comigo a "minha" gente e deixo-me a mim com eles, porque sei que "sou" da "minha" gente também...


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Pensamentos da Lua

Começa com um sorriso escondido... depois tenta quem sabe um mais seguro... que quando deres por ti... já sorris sem medo... já sorris quando o sol ainda nem sequer nasceu... já sorris ao acordar e para o mundo inteiro.


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Pensamentos da Lua...

Quem sou está tão enraizado em mim, que por muito que me cortem e me façam sangrar... ninguém me arranca de mim mesma.


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

segunda-feira, 21 de março de 2011

Pensamentos da Lua

Se hoje não acertamos no passo da dança...
Podemos sempre acertar amanhã...
O importante é continuar a dançar...
O importante é continuar a sorrir...
O importante é continuar a sonhar...
...O importante é nunca desistir...
O importante é sempre continuar...



por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Pensamentos da Lua

Existe sempre uma luz ao fundo do túnel... só precisamos de abrir o coração para a deixar entrar.


por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Pensamentos da Lua...

O coração é um daqueles lugares de espaço infinito... mas tem pessoas que conquistam um lugar cativo por tempo indefinido... por muito que a distância ou a vida se intreponham.



por Isabel Reis
todos os direitos reservados

Eternidade dos meus/teus segundos de vida...

Não os quero/dou de uma vez… num só fôlego
Quero/ dou-tos como quem dá beijos… cada um no seu momento…
…no seu espaço devido… no seu tempo sentido…
Quero o tudo que trazes em ti…
Esse tudo que trazes na “bagagem” da vida…
Cheio de boas e más experiências… as tuas…
Com bons ou maus defeitos… os teus…
…e eu amo-te assim no todo…
Não te sei amar de outro jeito…
Não te quero amar de outro jeito…

Em troca… em troca dou-te o que trago em mim
Aquela que apesar de tudo… ainda não fui capaz de confiar a ninguém
Os meus sorrisos… na sua verdadeira essência…
As minhas lágrimas… aquelas lágrimas sem defesas…
As minhas dores e alegrias… Os meus quereres e não quereres…
Os meus humores bons… mas também os maus…
O meu querer ficar quando estou feliz… e querer partir quando tenho medo…
Principalmente quando tenho medo…
Dou-te a luz e a escuridão…
A dualidade dos meus mundos
Em toda a sua imperfeição…
Onde sou capaz de ser feliz e infeliz num só tempo…

Basicamente é só isso que quero de ti…
O teu melhor e o teu pior… principalmente o teu pior…
Aquele mundo que guardas só para ti…
Não me dês o intermédio de ti…
Dá-me o tudo que és…
Dar-te-ei o tudo que sou…
Nem mais… nem menos…
Dá-me o tudo que te dou…
E eu dou-te beijos… Um de cada vez nos intervalos das gotas de chuva
A chuva que anseia pelo rio bravo que a espera impaciente…
E é só isso que quero…
A eternidade eterna de cada um dos meus/teus segundos de vida.


texto por Isabel Reis
todos os direitos reservados