Entre Sonhos e Sorrisos...

Entre Sonhos e Sorrisos...
"Vou-me "vestindo" da vida enquanto ela se vai "despindo" de mim..."

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

hoje...


hoje



hoje a minha vida seguiu em frente

hoje enterro finalmente o mundo que deixei para trás

hoje sorrio para a vida

porque finalmente ela sorri para mim…



continuo sem esquecer o pesadelo que vivi

o passado recente que apenas ontem deixei para trás

mas finalmente levanto a cabeça pois sei que acabou

sei que enterro tudo

as lágrimas e a dor

a tristeza da minha vida contigo

se é que alguma vez poderei chamar vida

ao terror que se tornou o meu dia-a-dia

ao medo que se apoderou de mim

que me enterrou sonhos e roubou a dignidade

que me fez viver na sombra

rondar até o limiar da loucura

que me tirou a vontade de viver…



mas hoje estou aqui

hoje isso nada é mais do que um passado sofrido
que fica para trás

hoje sei que estou feliz
recupero a mulher de sempre
sinto-me renascer
após uma morte sofrida…

vejo renovada em mim
a força, a garra, a determinação que perdi
no dia que me deixei subjugar
no dia que troquei a dignidade por amor a ti
hoje sinto-me a mulher de sempre
que julgava morta
afinal estava apenas perdida
hoje olho ao espelho e não sou eu que sorrio
mas sim a minha alma
pelo passado que ficou para trás
pelo presente que se avizinha
pelo tudo e pelo nada…



hoje estou aqui, voltei ao caminho certo
retomei as rédeas da minha vida
feitas as contas que peso tem então o passado
se o que importa é mesmo o HOJE
e o HOJE é finalmente meu…




Por Isabel Reis in "Delirios de uma alma encontrada" - Corpos Editora/ maio 2008

2 comentários:

blueiela disse...

Olá Isabel:)

Gostei de ler as tuas palavras...da força renovadora que elas trazem dentro de si.
Também estou a passar por uma fase dura de memórias e feridas que custam a passar...costumo achar que o tempo cura tudo, mas a sensação que entregamos o nosso amor a alguém, a confiança e hoje percebemos que nada guardam de nós faz-nos duvidar de muita coisa.
Tenho usado as palavras como terapia..como gritos que não posso dar...como lágrimas e também como sorrisos que não quero perder...
O teu poema é um pequeno hino à capacidade que o ser humano tem de se restaurar e lutar para voltar a ser feliz.
Desejo-te boa sorte para esta nova fase e que as palavras sejam sempre uma companhia para todos os momentos especiais na tua vida.
Parabéns pelo poema


beijnhos

Daniela Pereira

Renata Pereira Correia disse...

Olá Isabel:)

Nas tuas palavras encontra-se a sinceridade plena de uma pura alma sofrida, mas enfim encontrada numa serenidade que ansiavas. A tua coragem é digna de louvor, e o teu poema o relato puro da esperança que em ti habita. .
Somos uma constante renovação dos nossos maus momentos, somos um crescer saudável de outros tantos e variados que passamos.
Felicito-te pelas palavras, mas mais que isso envio-te o meu abraço sentido, de quem lê as palavras e as diz pela única janela que conhece, a alma.
Que o teu caminho e a nova fase de te ajudem a ir cada vez mais ao encontro da luz que precisamos em nossas vidas. Parabéns pelo poema e já sabes para dar a mão olha para o lado, estará lá alguém para retribuir, se não for eu, alguém será concerteza.
beijinhos
Renata Critina P. Correia